Ministérios das pescas e do Ambiente assinam acordo de cooperação

0
Upper Digital Marketing
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

As titulares das pastas dos ministérios das Pescas e do Mar, Victoria de Barros Neto e do Ambiente, Paula Francisco, assinaram nesta sexta-feira (8), em Luanda um protocolo de cooperação, que visa a gestão sustentável do mar e do oceano.

O protocolo  assinado pelas titulares das pastas da Pescas e  do Mar,  Victoria de Barros  Neto e  do Ambiente, Paula Francisco,   marcou as celebrações  do  Dia  Mundial  dos  Oceanos, que se assinalou no mesmo dia.

As duas instituições acordaram em mitigar os impactos  da variabilidade  climática  no ecossistema  marinho,  bem como  o fomento  da investigação  marinha,  troca de  informação  técnica  e cientifica,  bem como campanhas  de  investigação  conjunta  para a melhor governança   e gestão  integrada  do uso do mar  e do oceano.

Testemunharam a  assinatura do acordo  representantes  do sistema das  Nações Unidas e  quadros  dos ministérios e estudantes universitários.

Ainda no quadro das celebrações  da  Dia Mundial dos Oceanos,  o Ministério das Pescas  em parceria com o do Ambiente  promoveram um  workshop  sobre os oceanos, que decorreu sob lema “Prevenção da Poluição Marinha e Soluções  Encorajadoras para um Oceano  Saudável”.

Termas como, a  economia  azul:  o Papel dos oceanos  na diversificação  da economia  de Angola,  a apresentação  do relatório  preliminar  desenvolvido  pelo grupo  nacional  de cooperação  sobre o ordenamento  do espaço  marinho  em Angola,  no âmbito do projecto “MARISMA,”, foram entre outros temas que dominaram  este encontro.

O  coordenador  residente em Angola das  Nações Unidas,  Paolo Balladelli,  destacou as iniciativas de desenvolvimento  que os  ministérios das Pescas  e do Mar e do Ambiente  estão  a realizar  com  outros parceiros,  em prol da protecção dos  ecossistemas  marinhos, estão  enquadrados  nos 17 objectivos de  desenvolvimento sustentável (ODS), onde no seu ponto 04, orienta a conservação e uso sustentável  dos oceanos e no ponto 13,  impulsiona a tomada  de medidas  urgentes  para combater  a mudança  climática.

O oficial das Nações Unidas  lembrou que a boa gestão  dos ecossistemas  marinhos permite a reduzir a pressão no ecossistema,  implementar  boas praticas  concentradas na protecção  das espécies vulneráveis, desenvolvimento de actividades de maricultura, entre outros benefícios.

Com  um orçamento  de  20 milhões de  dólares  norte-americanos,  os programas das Nações Unidas para  o Desenvolvimento (PNIUD), para o Ambiente (PNUA) e  a FAO,  estão a  colaborar  com recursos  do Fundo de Gestão  do Ambiente (GEF), no ambiente  de diferentes  e importantes projectos.

Estes projectos destaca-se a  Corrente  Fria  de Benguela resposta às necessidades  urgentes  de adaptação  da orla  costeira,  que tem como objectivo de  aumentar  a resiliência  das comunidades  costeiras  vulneráveis,  a criação de áreas  protegidas marinhas, entre outras iniciativas.

 

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.