MININT supervisiona medidas de segurança nas cadeias de Luanda

0
Fotos: MININT
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por: Victória Pinto

Eugénio César Laborinho, Ministro do Interior, realizou nesta terça-feira, 31 de Março, uma visita de trabalho às unidades penitenciárias de Luanda, para fiscalização das medidas excepcionais de prevenção e combate contra a pandemia do novo coronavírus, Covid-19.

De modo a garantir o rigor no cumprimento das acções estabelecidas pelas autoridades engajadas no processo de combate ao coronavírus e reforçar as medidas de segurança que estão a ser implementadas nos estabelecimentos penitenciários, o ministro visitou a Comarca Central de Luanda, Sambizanga, hospital prisão, do Rangel e a de Viana, entregando materiais de Biossegurança para salvaguardar a vida da comunidade reclusa e dos funcionários.

Acompanhado pelo Director Geral, do Conselho consultivo do MININT e outras entidades da instituição, Laborinho deu início a sua visita na Comarca Central de Luanda (CCL), onde ressaltou a necessidade dos cuidados especiais com as mulheres, destacando aquelas que têm filhos menores e com os doentes em risco ao Covid-19. 

“A nossa visita aos estabelecimentos prisionais, daqui de Luanda, está relacionada com a necessidade de constatarmos, permanentemente, a situação dos presidiários, os cuidados especiais com as mulheres, especialmente as que têm filhos menores e os doentes em risco, (idosos, diabéticos, hipertensos, HIV/SIDA e complicações respiratórias)” referiu, o titular da pasta do MININT.

Eugénio Laborinho fez saber que a situação da população que cumpre penas de prisão está a ser analisada pela comissão multisectorial e sublinhou que os reclusos estão mais resguardados desde que não tenham contacto com as pessoas provenientes do exterior dos estabelecimentos prisionais, bem como a necessidade de se colocar em confinamento  os reclusos recém chegados às cadeias, como medida de prevenção nesta fase, da pandemia Covid-19.

“Estamos a analisar essa situação e a tomar medidas urgentes, mormente, garantir a segurança dos presos porque aqui estão mais resguardados, mas não podem ter contacto com pessoas provenientes do exterior, para não correrem o risco de serem infectados com o coronavírus. Entendemos proporcionar os meios de higiene e de hidratação, para salvaguardar a assistência médica e psicológica, bem como distribuir máscaras, luvas, álcool em gel e outros meios de protecção, para que a população Penitenciária, apesar de terem lesado bens jurídicos fundamentais, ser-lhes garantido a protecção contra a pandemia que afecta o mundo (Covid-19)”.

O governante frisou que estão a garantir que haja uma alimentação condigna aos reclusos, visto que as visitas estão proibidas, suspendeu a entrega de comidas provenientes das famílias dos mesmos.

Já na Cadeia de Viana, o Ministro do Interior pôde constatar o funcionamento das fábricas de material higiénico, como gel de banho, gel de ecografia, álcool em gel, assim como a alfaiataria, que está a produzir máscaras de protecção. Lembrando que as fábricas estão implantadas no interior da cadeia de Viana, tendo como funcionários, os próprios reclusos.

No final, a entidade teve um encontro com a Direcção dos Serviços Penitenciários, tendo baixado orientações concretas sobre o tratamento e protecção que se deve conferir aos presos, independentemente de terem cometido crimes, visto que lhes é assegurado o princípio de humanidade.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.