Jornal diz que Meghan e Harry não possuem a custódia legal do filho. Entenda

0
Upper Digital Marketing
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

O mundo parou, na última quarta-feira (8), para conhecer o mais novo membro da Família Real Britânica, Archie Harrison Mountbatten-Windsor, filho de Meghan Markle e Príncipe Harry. Apesar do bebê ser filho legítimo do Duque e da Duquesa de Sussex, quem possui total responsabilidade por ele é, em verdade, a Rainha Elizabeth II.

Na manhã desta quinta-feira (9), o jornal The Independent divulgou nota revelando que uma lei que foi sancionada pelo Rei George I, e que nunca foi alterada, prevê que o Chefe de Estado seja o tutor de todos os seus descendentes. Ou seja: Meghan e Harry não possuem a custódia legal do bebê, e sim a Rainha Elizabeth II, que na atualidade é a verdadeira responsável pelo Príncipe Archie Harrison, assim como seus filhos, netos e os outros bisnetos.

Ainda de acordo com o The Independent, a lei, chamada de Grande Opinião para a Prerrogativa Sobre a Família Real, tem mais de 300 anos e foi criada pelo Rei George I. “Trata-se do controle do Rei sobre a educação, crescimento e casamento de seus netos”, explicou Marlene Koening, uma especialista na monarquia britânica ao veículo.

O Rei George I teria supostamente aplicado esta lei especialmente porque “tinha uma má relação com seu filho, o futuro Rei George II [pai de Elizabeth II], por isso criou a legislação para que o rei fosse o guardião de todos os seus descendentes”.

A lei, apesar de ser muito antiga, continua sendo utilizada. Segundo o The Indepenedent, no divórcio de Charles e Diana, a Rainha Elizabeth II, que possui a custódia legal também dos Príncipes William e Harry, foi quem decidiu e distribuiu a disponibilidade das crianças com cada um dos pais.

Na ocasião, Charles e Diana puderam ficar com seus filhos sozinhos durante 40 dias no ano, cada um. A Rainha ainda levou em consideração, na época, a educação e a escola que os pais gostariam de promover a William e Harry.

Ainda de acordo com o veículo, é a Rainha Elizabeth II quem decide sobre as viagens dos pequenos e sempre tem a última palavra. “Por exemplo, Diana não pode viajar com seus filhos à Austrália pouco antes de morrer, porque não tinha poder para decidir sobre isso, já que não tinha a custódia legal dos filhos”, finalizou Koening.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome.