Comissão de Carteira e Ética apresentada oficialmente

0
Fotos: Nambi Wanderley
Upper Digital Marketing
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.


Por: Ivanine Silva

Realizou-se, no Centro de Imprensa Aníbal e Melo (CIAM), a conferência de Imprensa de apresentação da Comissão de Carteira Ética (CCE), órgão que deverá fiscalizar daqui para frente a actividade jornalística no país. 

Na apresentação do “policiador” da actividade dos jornalistas em todo o território nacional, foram esclarecidas algumas questões em torno dos pontos fortes que a comissão terá como suporte legal no exercício das suas competências. 

Segundo a presidente da CCE Luísa Rogério, o órgão tem como prioridades a curto prazo a publicação e divulgação do Código Ético-Deontológico, a apresentação dos membros da Comissão em diversas instituições públicas (ERCA, Ministérios e outros), visitar outras províncias do país, já que a CCE é de âmbito nacional, o cadastramento de jornalistas e não menos importante, a realização de campanhas de sensibilização para o cumprimento dos princípios éticos e deontológicos. 

Presidente da Comissão de Carteira e Ética (CCE ) Luísa Rogério

De acordo com Africano Neto, coordenador do Comissão de Carteira e Ética, o cadastramento dos jornalistas, deverá ser feito em conjunto com as organizações jornalísticas espalhadas um pouco por todo o país. Não será atribuída a Carteira Profissional de Jornalista: em casos de incompatibilidade de funções (assessores, publicitários ou agentes de publicidade), a pessoas formadas na área sem qualquer experiência profissional (estes deverão passar por uma formação profissional em jornalismo, após a licenciatura), a jornalistas sem formação na área e/ou que não exerçam a profissão a mais de cinco anos. 

Coordenador do Comissão de Carteira e Ética Africano Neto

Luísa Rogério, Presidente da CCE, aponta que com o princípio das actividades deste órgão, será considerada uma transgressão a lei, o exercício do jornalismo sem a obtenção ou apresentação da carteira profissional de jornalista. Aprovada pela Assembleia Nacional, num decreto publicado em Diário da República, a CCE, vai actuar fazendo cumprir os preceitos legais do Decreto Lei nº 12 de 23 de Janeiro de 2017 e o Código Ético e Deontológico que ainda está por ser publicado. 

Maria de Lurdes, refere que todos os passos do conselho de comissão e ética, serão dados seguindo os parâmetros legais, tal como a instauração de processos disciplinares aos profissionais que não respeitarem o código ético e deontológico. 

A Comissão de Carteira e Ética, é composta por um leque de profissionais de jornalismo referenciados e de diversos órgãos nacionais, nomeadamente: Luísa Rogério, que é a primeira Presidente deste órgão, Africano Neto, Maria de Lurdes Cololo. Fazem igualmente parte do órgão Engrácia Matias, Ermelinda da Costa, Honorato Silva, Miqueias de Sousa, Coque Mu-kuta, Adelino Ngunza e José Manuel Gimbi, todos estes eleitos em Assembleia Geral de Jornalistas. 

O órgão orientador da actividade jornalística (Comissão de Carteira e Ética), estará sediada provisoriamente no edifício do Centro de Imprensa Anibal de Melo, na Baixa de Luanda.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.