Cidade de Benguela completa hoje 402 anos de existência

0
Upper Digital Marketing
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Benguela – A cidade de Benguela, capital da província homónima, celebra hoje, 17 de Maio, 402 anos desde a sua fundação, em 1617, por Manuel Cerveira Pereira.

Reza a história que, a partir de 1578, deu-se a fixação portuguesa em Benguela-a-velha, perto da actual cidade de Porto Amboim (província do Cuanza Sul). A fixação portuguesa marcou o início da exploração da região sul de Angola.

Manuel Cerveira Pereira, que foi governador de Angola de 1615 a 1617 por ordem do rei Filipe II, no âmbito da União Ibérica, fundeou na Baía de Santo António no dia 17 de Maio de 1617, sendo esta data considerada como a da fundação da cidade de São Filipe de Benguela, nome em homenagem ao rei, e tornou-se então a sede do Reino de Benguela. Benguela é a segunda cidade mais antiga de Angola, sendo a primeira Luanda.

Cerveira Pereira partiu de Luanda a 11 de Abril de 1617, à frente de uma força de 130 homens e rumou para sul, ao longo da costa, até à Baía das Vacas, que alcançou em 17 de Maio. Aí fundou o Forte de São Filipe de Benguela, núcleo da povoação do mesmo nome que havia de ser a capital do novo domínio português ao sul de Angola, a Capitania de Benguela, administrada autonomamente entre 1617 e 1869.

Em 1641, a cidade foi tomada pelos holandeses e a população teve de se refugiar no interior, a cerca de 200 km do litoral. Sete anos depois, em 1648, Benguela foi libertada. Desde então passou a ser porta de passagem para o interior e a região desenvolveu-se muito. Em 1705 uma esquadra francesa destruiu a cidade quase completamente, mas entre 1710 e 1755 os benguelenses reconstruíram-na. As construções eram rudimentares, sendo a Igreja de Nossa Senhora do Pópulo, a primeira construção de pedra e cal.

A construção do Caminho de Ferro de Benguela (CFB), levada a cabo pelos ingleses, no início do séc. XX, transformou a cidade de Benguela no motor do desenvolvimento da região centro-sul do país: a sua linha, iniciando-se no porto do Lobito, atravessa Angola, quase na horizontal, até à fronteira com o então Congo Belga, hoje República Democrática do Congo.

Em consequência, surgem cidades no interior do centro de Angola: Ganda, Cubal, Cuma, Longonjo, Lépi, Caala, Bela Vista, hoje Katchiungo, Chinguar, Silva Porto, hoje Kuito, entre outras… e, sem demérito para as restantes, Nova Lisboa, hoje Huambo, que em tempos sonhou ser a capital do país e que, durante a guerra que assolou Angola durante três décadas, foi uma das suas grandes mártires. Benguela passa, assim, a ser chamada de Cidade Mãe de Cidades.

É em Benguela que se dá o pontapé de partida para a radiodifusão em Angola: o Rádio Clube de Benguela é fundado a 18 de Maio de 1939. Nesse mesmo ano é também fundado o Aero Clube de Benguela.

A queda de cotação internacional do sisal mudou o rumo de Benguela. A reconversão da actividade económica foi feita através de uma aposta na pesca. A costa de Benguela é muito rica em recursos piscatórios e o desenvolvimento da actividade pesqueira levou ao crescimento da população residente.

A partir de 1940, povos de outras origens, como os alemães, cabo-verdianos e são-tomenses, fluíram em grande escala para a cidade de Benguela. De 1961 a 2000 Benguela alterou o mosaico sócio cultural consideravelmente.

Ao mesmo tempo que as populações de origem europeia emigravam por causa da guerra, esse mesmo motivo fazia as populações do interior do país migrarem para o litoral.

O município tem actualmente uma população aproximada de 600 mil habitantes, contra os 47 mil de há 50 anos, de acordo com o último Censo, dos quais 52 porcento são mulheres, verificando-se uma forte predominância da população jovem.

O sector da Educação controla actualmente cerca de 200 escolas, entre públicas, privadas e comparticipadas, além de quatro unidades do ensino superior.

Quanto ao sector da Saúde, o município conta com um hospital municipal, com cerca de 80 camas para internamento, serviços pediátricos e beneficia de um hospital regional, um centro oftalmológico de referência a nível nacional, com postos médicos distribuídos pelas diversas zonas e que permitem garantir alguma forma de assistência directa aos cerca de 600 mil habitantes.

No sector da Energia e Águas, embora haja melhorias na malha eléctrica, o fornecimento nos últimos meses tem sido “sofrível”, uma vez que a província depende de centrais térmicas e a crise de combustível que o município regista também se repercute nestes dois sectores.

Entretanto, o município de Benguela, o aniversariante do dia, ainda enfrenta inúmeros desafios, como a melhoria do saneamento básico, das linhas de águas, para se ter um sistema urbano a funcionar com redes de águas residuais e fluviais devidamente alinhadas, aumento de unidades de saúde, escolas e postos policiais, sobretudo nos novos bairros que vão surgindo.

A recuperação das ruas secundárias e terciárias, algumas muito degradadas, do sistema de iluminação pública, dos espaços verdes, combate a delinquência, prostituição, criação de postos de trabalho, sobretudo para juventude, revitalização dos sectores agrário, piscatório e industrial, constituem-se noutros grandes desafios do município.

A cidade de Benguela tem, dente outros pontos de referência turística, a praia morena, o largo da Peça, o Museu de Arqueologia e as igrejas do Pópulo e da Sé Catedral.

O município de Benguela tem como limites geográficos, a norte o município da Catumbela, a sul da Baía-Farta e Caimbambo, sudeste Bocoio e oeste o oceano atlântico, com 76 bairros e cinco povoações, seis zonas administrativas.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.