“Noutora muitas mulheres não aceitavam receber flores”

0
Fotos: Nambi Wanderley
Upper Digital Marketing
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Por: Victória Pinto

Na nossa ronda do 14 de Fevereiro, com o objectivo de constatar o fluxo de apaixonados na procura do presente “perfeito”, passamos pela loja “Ana Flores” (casa de flores e diversos), situada no Kilamba, onde registou-se uma fraca movimentação.

Loja Ana Flores

Yara Maria, gerente da loja, falou que nesta época conhecida como a data dos namorados a procura dos apaixonados recaí pelos arranjos de rosas naturais, a escolha vai desde os arranjos nas caixinhas com chocolates à cestas de pequeno-almoço.

A jovem fez saber que no dia 14 de Fevereiro é o número de clientes é maior com relação a outros dias do ano, mas pela falta de verbas, o rendimento este ano tem sido baixo, mas está dar para gerir.

Yara Maria, Gerente da loja

“Geralmente o dia 14 é um dia muito especial, de muita correria, a Ana flores neste dia recebe muitos clientes, e as vezes antes da data tem estado lotada de encomendas, mas esse ano a procura é pouca, há pouca concorrência, não há dinheiro”.

De acordo com a gerente da loja a procura é mais por parte do homens, pois a mesma acredita que eles são mais românticos, pelo facto de que noutrora as mulheres angolanas não aceitavam rosas, situação que tem mudado nos últimos tempos.

“As mulheres estão a despertar agora, porque noutora muitas mulheres não aceitavam receber flores, perguntavam flores para que? Mas agora muitas estão a receber”.

Ana Flores está no mercado angolano à quase seis anos, ligada ao comercio de arranjos de flores naturais e artificiais, ursos de pelúcia, balões decorativos, cestas de pequeno-almoço, caixas explosivas, cartões postais, prestação de serviço para decoração de carros, entre outros.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor digite seu nome.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.